A dor da perda, de algo, de alguém,
o infortuno acaso, o insuportável saber,
a aflição é tamanha, não há como refazer,
está feito e compaixão pode ter.

O medo é um quadro a decorar o meu ambiente interior,
pinturas realísticas, mutáveis, metamorfose questionável,
a larva queima, o casulo abre -se, a borboleta-caveira,
não voa, rasteja, suas presas a fincar até simples devaneios.

Até onde o acaso podes atingir? Não es cabido, definir quando vou partir,
em fogo alto queimareis, do ar desabareis, da terra engolireis, os sonhos, do céu realizareis,
és mascarado este acaso, és imundo de descaso, persegue-se o culpado, em vão sempre serás caçado,
caminhareis em paz a rota alternativa, flutuando com essas asas plumadas que ganheis na partida.

Repentinamente, coração pula, pobre coitado de pernas curtas,
sofre infeliz, tolo, sozinho, não pode ver um abismo, morte é juízo,
infarto é sobrevida, choques elétricos nesse músculo ferido, maldito,
o que há de melhor, crucificado em madeira com pregos enferrujados.

Deixa ir, há rocha nos ombros, pesares no olhar, amor a definhar-se,
uma voz rouca que grita, esperneia, sequer ouvida, logo silencia-se,
lágrimas inundam a face, estás o pó, o resto, nenhuma força na fadiga,
um cadáver rastejante, a saborear devagar os seus piores dias.

Italianos, a olhar a face da morte todos os dias, nenhuma autoria, vírus a dominar o mundo,
tristes vítimas, milhares de mortes em que não se enterra o querido, nem se olha nos olhos,
nenhum beijo na partida, alguns se vão sem oração, sem benção do padre, duramente são ceifados,
desvanecem cedo os mais velhos, tradicionais, o verde, branco e vermelho, sangue incrustado.

Geração afobada para chegar em lugar nenhum, aprecia o fajuto, a frase curta, autoajuda,
adoram as leituras aceleradas, vocabulário raso, pensamentos infantilizados ou até ilusões baratas,
poesias fabricadas, memes virais, algo escreveu, depois nem sabe o que leu, falha interpretativa,
pior, inaptidão, raciocínio congelado, aprendem na impulsão sem desenvolver nada, lástima.

As Guerras e seus parênteses,
armaram o homem com o diabo,
sacrificaram santos, santificaram os cabos,
o lado bom, não tem lado.

Respirar profundamente, não somente ares adentro e afora dos pulmões, refiro-me ao alívio, satisfação,
a calmaria da tormenta, sensações aromáticas ou até fluxo de raciocínio ao cérebro, pensamentos adjetos,
decisões pós respiração, sempre melhores, respirar também é refletir, unanimidade, o ar precisa de espaço,
circula nos detalhes do ser, precisa de lazer, ofegante, se prazer, calculado, se treinado.

E o filho de Deus sangrou, açoitado, humilhado, até a coroa lhe cortava,
o mesmo sangue, que hoje é jorrado em vão, de um pulso, de um impulso,
a fé que Jesus provou em madeira e cruz, eternizou-se com a benção do Pai,
não é desse mundo, que se abandona na prática, por vezes, uma única voz é calada.

Saudades é uma lâmina cega,
o coração uma carne mole,
cada fenda sangra quente,
não há como estancar urgente.

Enterraste o passarinho, este dançaste as asas tão bonito, piaste até as últimas batidas,
coração em agonia, pousaste onde não podias, olhaste pela janela, cantaste por tantos dias,
fatalidade, não foste pedra a atingir-te, nem fogo a queimar-te, foste somente lugar ocupado,
dentes afiados do felino a fincar penas, tudo que querias, apenas a linda Violeta.

Um ano a mais de vida, um a menos, cada dia, um passo ao finamento, vivendo, morrendo, lampejos,
a beleza deteriora-se, vejo as escolhas da trajetória para o sprint final, sempre tarde, quando se vai cedo,
separa-se os ciclos, fases, em todas, meu sorriso, o perfeito disfarce, lobo, passarinho, eterno bicho do mato,
discreto, sereno, se eu pudesse voar, facilitaria, e não seria eu, lá, rompendo o laço no fim da corrida.

Gostou? Compartilhem as poesias flutuantes e lembrem-se deste humilde pseudo poeta como autor, eternamente agradecido.

Pode escrever,

  • Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

POESIAS FLUTUANTES 2019 | Todas as poesias são autorais de J.G.B @ All rights reserved. As pinturas contidas neste site são de autoria de outros artistas, todos devidamente com créditos mencionados e linkados. Background Art by Akiane Kramarik

JGWEB - Criação de Sites