Era uma vez, uma pessoa, um trapo, um anti-herói na esquina,
nascido do barro, doutor da vida, a pedra fria é sua casa, os ignorados, a sua matilha,
todo dia é julgado por falsos juízes, olhares que desprezam, crucificam, aniquilam,
de tão forte que és, nenhum poder lhe é devido, venceu mesmo assim, o miserável mendigo.

Gostou? Compartilhem as poesias flutuantes e lembrem-se deste humilde pseudo poeta como autor, eternamente agradecido.

Pode escrever,

  • Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

POESIAS FLUTUANTES 2019 | Todas as poesias são autorais de J.G.B @ All rights reserved. As pinturas contidas neste site são de autoria de outros artistas, todos devidamente com créditos mencionados e linkados. Background Art by Akiane Kramarik

JGWEB - Criação de Sites