Poesia - A Tela do Medo - por J.B.G

A Tela do Medo

4.5 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 Votes 4.50 (1 vote)

O medo é um quadro a decorar o meu ambiente interior,
pinturas realísticas, mutáveis, metamorfose questionável,
a larva queima, o casulo abre -se, a borboleta-caveira,
não voa, rasteja, suas presas a fincar até simples devaneios.

O medo tem fome, alimenta-se dos meus perdidos pensamentos,
agressivo, aproveita-se de fracos e arrastáveis momentos,
enche-me de terror, caos, dor mental e morte infortuna,
faz-se escuro as maravilhas, uma tela preta com olhos famintos.

Assombro decorativo, pintura animada em quadro imóvel, pregado está,
ali ficará, fixado com pregos enferrujados, na minha parede de fundo esverdeado,
entre meu falso Vermeer e outras pinturas estáticas baratas.

Somos o artista a decorar o próprio interior, que vai além de ossos, órgãos e sangue,
sempre a pendurar um quadro escuro de olhos abertos e profundos, amedrontando-nos,
a dilatar nossas pupilas, abrir a visão, estes atentos, sentinelas a combater o medo.

Poesia por J.G.B

Pintura "Charcoal Study 3" por Steve Otis

Tags: pensamentos morte dor terror medo quadro decoração pinturas vermeer

Gostou? Compartilhem as poesias flutuantes e lembrem-se deste humilde pseudo poeta como autor, eternamente agradecido.

Pode escrever,

  • Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

POESIAS FLUTUANTES 2019 | Todas as poesias são autorais de J.G.B @ All rights reserved. As pinturas contidas neste site são de autoria de outros artistas, todos devidamente com créditos mencionados e linkados. Background Art by Akiane Kramarik

JGWEB - Criação de Sites