Preces

Que sejam um pouco mais leves, as dores insuportáveis que extirpam as energias, físicas, mentais, astrais,
o incurável e triste saber, que não há mais tanto a fazer, que as mãos de Deus lhe assegurem, a paz duradoura em vida,
que nenhuma queda constante, seja tão brusca, que possa lhe afundar em poço, exagerar mais essa dor, drenar seu bom espírito,
há de sobrevoar-te acima de ti, o teu anjo de asas, este que nunca foge a luta, nem abandona.

leia a poesia completa...

Acaso e Destino

Acaso, um ziguezague imperceptível de acontecimentos, ambidestros, imutáveis, meros ou complexos casos,
o encontro incontrolável de pessoas, lugares, o exímio tempo exato, como ser alvejado, sem nunca ser alvo,
coisa alguma de destino concreto, nem ocorrência premeditada, puro fenômeno natural, há quem diga, sobrenatural,
surpresas benignas ou malignas, decorrentes do inimaginável, deveras questionáveis, surpreendendo-nos fatalmente, sempre.

leia a poesia completa...

Feita Natureza

Mergulhei no profundo oceano dos teus olhos, extenso breu, deparei-me com um belo par de pérolas negras,
banhadas por brilho, rodeadas pelas areias claras do teu rosto, estas, revestidas por camadas de pequenas sardas,
deslizo por tua face, vagarosamente, tateando pacientemente as linhas quadriculadas, ornamentadas por algas onduladas,
teus fios pretos, que tanto exacerbam a tua morenitude, majestosamente, completam e definem a tua superfície.

leia a poesia completa...

Tu És Meu Lugar

Eu tenho convites, a todo lugar que quiser, lúdico dos encontros, facetas quaisquer,
venha transpassar seus pequenos pés nas trilhas desse parque, ou bebericar nesse restaurante fino,
talvez queira ouvir música ao vivo, ou o som das estrelas, tem até mar de gente no boteco da esquina,
ou só nós no quarto do hotel, tanto faz, percebas que você é o lugar que quero estar.

leia a poesia completa...

Como Pode

Como pode este passarinho cantar, se tem as asas quebradas e o ninho destroçado?!
pareces até que voa mais alto, os piados parecem gritos, afinados, como vozes em uníssono,
lá vai, gravetos no bico, arquiteto das casinhas de palitos, não há trauma, apenas reinício,
a pequena ave de peninhas, debilitado e sem família, segue sobrevivendo a pedras e tiros.

leia a poesia completa...

Se eu lhe disser adeus

Se um dia eu lhe disser adeus, do que lembrarias? Daquela pedra dura que viraste leito no litoral paulista?
Dos toques e sensações únicas que lhe fizeste? Ou dos dias quase intermináveis, numa cabana simples no meio do mato?
talvez queiras esquecer-me, como um cometa que passaste dentro de tua poeira cósmica, tirarias o peso das costas,
chorarias por alguns dias, imaginando o que seríamos, é fácil cair, quando não és tu, quem soltarias a corda.

leia a poesia completa...

Fases

Crise nova, o infindável mergulho no abismo, mente enterrada pelas circunstâncias da vida, pisoteada pelos fracassos,
ocorrências, há tanto tempo, de vez em quando, quase sempre, não se vai tão cedo, fique mais um pouquinho, desiquilíbrio,
à custa de nada, estrague só mais este dia, quem é feito de conflitos internos, de colapsos viverás, basta não viver, e verás,
um dia qualquer, um domingo de sol, lá estará, a perturbação a lhe sorrir, enquanto afundas na incerteza, profunda contenda.

leia a poesia completa...

Recomeço

Passou, passado, sou roupa nova, aroma de livro novo, ambiente redecorado, cheio de novidades,
histórias vigentes, amores embrasados, não sou mais um clichê sem graça, sou puro entusiasmo, agora,
uma obra de ação surpreendente, ninguém mais pode ler-me num roteiro, estou só improviso, sem rodeios,
quero, faço, amo, dou laço, negar, não tem mais embaraço, sou a conquista, livre, liberdade.

leia a poesia completa...

Como é Triste

Como é escuro o brilho dos teus olhos, quando não fitam em segredo, o teu perdido amado,
chora sem plateia, esse preto espetáculo, a beleza líquida desse poço d'água, retraídos em pálpebras,
já sorriram tantas vezes, junto a teus risos, embarcados nas lembranças, daquele triste amor recente, amargo,
dormem tímidos e sem graça, dentro do veludo da pele, contraídos, sem permitir que admirem, estas lindas pupilas.

leia a poesia completa...

Sangramento

Teu coração é um karma a si, a ti faz sofrer, porque já o fez, engula o choro menina, e sangre outra vez,
construa amores como pontes de safena, estanque essa corrente de sofrimento desatado, o amor é preciso, necessário,
cuidado, também és cirúrgico, evite a parada cardíaca desse coração maltrapilho, desobstrua os vasos sujos de tristeza,
suas veias entupidas, impedem que o verdadeiro amor circule, assim sendo, bombear seu corpo de êxtase, nem que seja, por momento.

leia a poesia completa...

Poesias que podem te interessar...

Gostou? Compartilhem as poesias flutuantes e lembrem-se deste humilde pseudo poeta como autor, eternamente agradecido.

Pode escrever,

  • Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
  • as poesias estão flutuando em mais de 30 lugares, não perca de vista!

POESIAS FLUTUANTES 2019 | Todas as poesias são autorais de J.G.B @ All rights reserved. As pinturas contidas neste site são de autoria de outros artistas, todos devidamente com créditos mencionados e linkados. Background Art by Akiane Kramarik

JGWEB - Criação de Sites